Flávio Capi se surpreendeu na infância quando marcando centenas de pontinhos numa folha de papel criou algo que parecia com uma superfície. De lá pra cá essa paisagem virtual vem se desenvolvendo em paralelo com sua realidade de professor, pai e profissional do desenho. Ilustrou os livros <em>Cadeira de balanço</em>, de Vanessa Campos Rocha (Editora Hedra, prêmio PNBE 2009), <em>A botija</em>, de Clotilde Tavarez (Editora 34, prêmio PNBE 2010) e <em>O menino que perdia as palavras</em>, de Laércio Furquim, (Editora Bamboozinho, selecionado pelo Governo de Minas Gerais em programa de distribuição gratuita). é autor da narrativa visual <em>Melhor Amigo</em>, em parceria com Gabi Mariano (Editora 34) e agora desse “cine-livro” <em>Jardim Atlântico</em>.

Mostrando um único resultado